pedofilia pedofilias ed brasilianaPedofilia Pedofilias não pretende ser um tratado sobre o assunto, mas uma tentativa de analisar o tema pela óptica psicanalítica. Isso é novidade, uma vez que existe na psicanálise uma tendência a deixar em segundo plano os aspectos “reais” do abuso sexual infantil. Contribuições de fora do campo da psicanálise não foram ignoradas; o livro propõe incursões em outros âmbitos culturais (mitos, fábulas e romances) para ressaltar que apenas uma análise integrada permitirá que elaboremos uma resposta apropriada para o fenômeno da pedofilia. Trata-se de uma realidade muito complexa para ser precipitadamente esquematizada.

O conhecimento e o tratamento do pedófilo são necessários não para atenuar suas gravíssimas responsabilidades, mas para elaborar um quadro desmistificado. Identificar-se com a vítima e evitar qualquer possibilidade de compreensão de seu agressor, visto como um monstro, não é útil para ninguém. O terapeuta deve, acima de tudo, se esforçar para reconhecer as diferenças entre um caso e outro, o que pode permitir a elaboração de intervenções mais assertivas que, a longo prazo, têm também a função de prevenir recaídas.

Prefácio de Luiz Meyer (SBPSP, Sociedade Brasileira de Psicánalise de São Paulo)